domingo, 11 de outubro de 2015

[Resenha] Peter Pan

Escritor: J.M. Barrie
Editora: Zahar
Páginas: 253 (edição de bolso) 
Sinopse: "Peter Pan transporta crianças e adultos para um mundo mágico, povoado pela família Darling e pelos habitantes da Terra do Nunca - Peter Pan, os meninos perdidos, Sininho, o Capitão Gancho e seus piratas..."
"A diferença de Peter para os outros meninos em momentos como aquele é que eles sabiam que aquilo era faz de conta, enquanto para Peter faz de conta e realidade eram exatamente a mesma coisa." (pág. 103) 
Peter Pan conta as aventuras dos irmãos Wendy, João e Miguel na ilha da Terra do Nunca. Numa noite, ao voltarem de um jantar na casa de um vizinho, o sr. e a sra. Darling se deparam com o quarto das crianças vazio. A sra. Darling já sabia o que acontecera: Peter Pan voltara para buscar a sua sombra e acabou levando as crianças embora. 

De fato, Wendy acordou com o choro de Peter em seu quarto. Descobriu que ele estava triste por não conseguir ter de volta a sua sombra (ele tentara grudá-la em seus pés com sabonete!). Depois de ajudá-lo costurando a sombra à seus pés, Wendy é convencida por Peter a viajar com ele até a Terra do Nunca, pois ele lhe prometera sereias e aventuras. Só que, além de sua companhia, Peter estava interessado em suas histórias e em seu papel como mãe, pois ele faz parte dos Meninos Perdidos, garotos pequenos sem mãe nem pai, e eles queriam uma mãe para que cuidasse deles, contasse histórias.

Persuadida por Peter, Wendy acorda seus irmãos e, depois de aprenderem a voar com o pó de Sininho, a fada amiga de Peter Pan e os três partem para a Terra do Nunca. Depois de dias e de muitas aventuras em pleno voo, eles alcançam a ilha e, a partir daí, passam a conviver com os seres que lá habitam: Meninos Perdidos, animais selvagens (inclusive um crocodilo que engoliu um relógio e que por onde ele passa dá para se ouvir um "tique-taque"), índios peles-vermelhas e, é claro, os piratas. Numa trama repleta de intrigas e alianças, esses grupos vivem se metendo em aventuras e confusões, sempre existindo uma briga na qual os Meninos Perdidos se metem.

"Coisas estranhas acontecem conosco ao longo da vida, e nós podemos passar um bom período sem perceber que elas aconteceram." (pág. 205) 
Uma das surpresas que tive ao ler o livro é perceber que os personagens são muito bem construídos. Cada um tem a sua personalidade e o seu papel na história (mesmo que secundário). Peter Pan é um garoto bem peculiar, com sua dualidade explícita: ora bom, ora traiçoeiro. Talvez isso aproxime ainda mais o leitor do personagem, mesmo com todos os defeitos dessa criança. Eu não poderia deixar de citar a Naná, a cachorra-babá das crianças, que faz o livro ficar ainda mais fofo: ela é super protetora e amorosa.

Peter Pan é um livro que indico para qualquer pessoa, de qualquer idade. Ele é, sim, escrito para crianças. E apesar de ser um livro fiel ao público-alvo, é uma boa leitura para os adultos, pois só um poderá enxergar algumas características e críticas inseridos na história (como a crítica à sociedade da época).

Avaliação: ♥ ♥ ♥ 

Nenhum comentário:

Postar um comentário