domingo, 20 de setembro de 2015

[Resenha] O Pequeno Príncipe

Escritor: Antoine de Saint-Exupéry
Editora: Geração
Páginas: 160
Sinopse: "Um piloto cai com seu avião no deserto e ali encontra uma criança loura e frágil. Ela diz ter vindo de um pequeno planeta distante. E ali, na convivência com o piloto perdido, os dois repensam os seus valores e encontram o sentido da vida."
Primeiramente gostaria de deixar claro que eu estou apaixonada por esse livro - principalmente por essa edição capa dura! Sim, demorei muito para ler, mas só me arrependo de uma única coisa: por que não li antes? Um livro tão inocente, mas tão cheio de lições... 

Quando ouvem falar em "O Pequeno Príncipe" já imaginam uma leitura infantil - o que, de fato, não deixa de ser. Porém, é uma leitura que qualquer adulto encanta-se; Uma leitura que cada vez lido, será interpretado de uma forma diferente, com um ponto de vista diferente. É como se a escrita descrevesse seus sentimentos.

O livro possui frases que somente um adulto entenderá. Para crianças, é apenas um menino conhecendo os planetas.

  • "Acho que deveria tê-la julgado por seus atos, e não por suas palavras." (pág. 45)
    As pessoas são julgadas por tudo que dizem. Palavras são mais poderosas do que as atitudes. Não reconhecem mais atitudes nobres, apenas palavras, que, às vezes, são mal ditas.
  • "Há solidão também quando se está entre pessoas." (pág. 86)
    O que adianta estar rodeado de pessoas se você sente-se sozinho? Se falta algo na sua vida que não será resolvido em meio a uma multidão.
  • "Se sei que você virá, por exemplo, às quatro da tarde, às três já começarei a me sentir feliz." (pág. 99)
    Quem não se sente feliz em encontrar aquela pessoa amada? Quem não começa a ficar com aquele "friozinho na barriga" quando aquele momento tão esperado está chegando?
  • "Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos." (pág. 101)
    O melhor de um amor, de uma viagem, de um encontro ou de um presente não é o que transmite os outros, mas o quanto nos toca o coração. O essencial é o que sentimos.
  • "É o cuidado que você dedicou a sua rosa que a faz tão especial." (pág. 101)É preciso dedicar-se para a pessoa amada. É o cuidado que você tem com ela que a faz sentir-se única e especial. Porque o que importa é ela ser única para você, não para o mundo.
  • "Você se torna eternamente responsável por aquilo que cativa." (pág. 101)
    Conquistar o carinho e atenção de alguém te torna eternamente responsável por essa pessoa. Conquistou e é eternamente responsável por isso.
É um livro que recomendo para todos e para todas as idades. É um excelente livro para presentear alguém que você ama. 

Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ()

Nenhum comentário:

Postar um comentário