terça-feira, 29 de dezembro de 2015

[Resenha] A Menina da Neve

Escritora: Eowyn Ivey
Editora: Novo Conceito
Páginas: 350
Sinopse: "Alasca, 1920. Um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando um do outro cada vez mais - ele, no duro trabalho da fazenda, ela, se perdendo na solidão e no desespero. E um dos raros momentos juntos durante a primeira nevasca da temporada, eles fazem uma criança de neve. Na manhã seguinte, ela simplesmente desapareceu. 
Jack e Mabel avista uma menina loira correndo por entre as árvores, mas a criança não é comum. Ela caça com uma raposa-vermelha ao lado e, de alguma forma, consegue sobreviver sozinha no rigoroso inverno do Alasca.
Enquanto o casal se esforça para entendê-la - uma criança que poderia ter saído das páginas de um conto de fadas -, eles começam a amá-la como se ela fosse filha deles. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam ser, e o que aprendem sobre a misteriosa menina vai transformar a vida de todos eles.
"Aquele instante se passou como um sonho, às vezes rápido e às vezes devagar demais." (pág. 45)

A história - contada nos anos 1920 -, narra a vida de Mabel e Jack. Mabel nunca pôde ter filhos e queria mudar-se para longe onde não houvesse ninguém por perto e ela pudesse recomeçar. Então, ela e Jack mudam-se para o Alasca.

Mabel e Jack vivem em uma pequena cabana, onde Jack tem que caçar para sustentá-los e Mabel vende tortas para um restaurante, - mas só isso não será o suficiente na grande nevasca que está por vir. É quando Jack conhece Georgie - no restaurante - que oferece ajuda junto com seu filho, Garrett, para caçar e cortar madeiras para a fogueira. É a partir daí que surge uma grande e verdadeira amizade.
"Podemos fazer isso? Inventar nossos finais e optar pela felicidade em vez da dor?" (pág. 121)
No começo Mabel negou-se a conhecer Georgie e sua família, mas com a visita dos mesmos em sua cabana, ela acaba apegando-se à eles e é onde Esther - esposa de Georgie - torna-se a única e melhor amiga de Mabel.

Mesmo com novas companhias, o casamento de Mabel e Jack não está um dos melhores. Ela sente-se culpada por nunca poder proporcionar uma família e ele sente-se culpado por precisar de ajuda para consegui sobreviver ao inverno. E o que eles não sabem é que a vida deles está preste a mudar.


"Nunca sabemos o que vai acontecer, não é mesmo? A vida sempre nos joga para um lado e para o outro. É uma aventura não saber onde você acabará e como pagará a passagem. É tudo um mistério e, se dissermos o contrário, estamos mentindo para nós mesmos." (pág. 239)
Em um certo dia, começa a primeira neve. Ambos estavam na cabana, cada um com seu afazer, e então, surge uma grande ideia de Mabel: criar uma boneca de neve. Eles vão para a neve, criam uma boneca - com olhos azuis, cabelos loiros e ainda acrescenta cachecol e luvas vermelhas. Depois disso, começam a fazer "guerra na neve", fazendo ascender aquela chama quase apagada do relacionamento. 

No dia seguinte, a boneca de neve não encontra-se mais lá. No começo pensaram que seria um animal selvagem e havia levado as luvas e o cachecol, mas é com o passar dos dias que percebem: há uma menina do lado de fora, usando os apetrechos. O que mais intriga Mabel é que a menina é igualzinha a boneca de neve que ela e Jack fizeram e, por que ela nunca vai até a cabana pedir ajuda? Por que estaria sozinha, na floresta, em meio a uma nevasca? É nesse ponto que as dúvidas surgem: essa menina é real ou tudo é apenas uma loucura?
"Às vezes as coisas acontecem. A vida nem sempre é o que planejamos ou esperamos, mas não precisamos ter tanta raiva, não é?" (pág. 301)
Tudo o que posso dizer é: leiam! É um livro ótimo, com uma narrativa cativante, que te faz viver um mundo de fantasia. Você se sente igual a Mabel - confusa com a aparição repentina da menina. E o final... com um toque de drama, mas incrível. Te faz acreditar em milagres.

É o primeiro livro da autora e um super ponto positivo à ela por saber como "te colocar" na história junto com os personagens; viver e sentir o mesmo que todos eles.

Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

0 comentários:

Postar um comentário