sábado, 19 de setembro de 2015

[Resenha] A Extraordinária Garota Chamada Estrela

Escritor: Jerry Spinelli
Editora: Gutenberg
Páginas: 189
Sinopse: "A garota chamada Estrela. Ela é tão mágica quanto o céu do deserto. É tão estranha quanto seu rato de estimação. É tão misteriosa quanto seu próprio nome. Com um simples sorriso, ela cativa totalmente o coração de Leo Borlock. Com sua alegria, ela incendeia uma revolução por liberdade e autenticidade no espírito de sua escola.
No começo, os colegas encantam-se com ela por tudo o que a faz ser diferente. Mas isso começa a mudar, e Leo, apaixonado e apreensivo, percebe que a única coisa que pode salvá-la das críticas é a mesma que pode destruí-la: ser alguém comum."  
"A última coisa que via antes de adormecer eram aqueles olhos, e a última coisa que sumia era aquele sorriso no seu rosto." (pág. 58)

 É narrado por Leo, um garoto que sempre reparou em Estrela e gostava do jeito dela, mas sempre sentia-se intimidado pela opinião dos outros.

Estrela é uma garota nada comum. Veste roupas diferentes de todas as garotas, têm um rato de estimação chamado Canela e leva o seu ukulele para a escola, também.

Estrela era educada em casa por sua mãe e em seu primeiro ano foi para a escola. Ela nunca tentava ser igual à ninguém, era ela mesma com todos: tocava seu ukulele cantando "parabéns" em todos os aniversários, torcia para os dois times de basquete.

Seu nome verdadeiro era Susan, mas sempre trocava quando achava que aquele nome não a pertencia mais. 



Quando somente a "troca do nome" não foi suficiente, Estrela começou a mudar, começou a tentar ser popular para agradar à todos, principalmente Leo. Mas nunca foi possível. 
"Sou uma pedra, um espinho de cactos. Sou a chuva. É disso que eu mais gosto, de ser a chuva." (pág. 98)
Eu adoraria descrever mais e mais da história, mas tudo resume-se em uma única palavra: cativante.

A personagem consegue cativar do jeito que ela realmente é. Todas coisas diferentes que ela faz para todos e que a deixa feliz. É algo que todos deveriam aprender: fazer sempre o bem para alguém além de você.

Em partes, a história é um pouco semelhante com "Extraordinário": estudar em casa, ser ignorado por quase todos. Porém, ambos são cativantes e ensinam algo no final e sai por aí espalhando luz.

Uma leitura simples, narrativa simples, com poucas falas e capítulos pequenos, porém, encantadores assim como a Estrela.
"Ela era uma luz flexível: brilhava em cada esquina do meu dia." (pág. 114)
Avaliação: ♥ ♥ ♥ ♥ 

0 comentários:

Postar um comentário